João Pedro aka Traffic Jam está desde o início da criação da RADIOLA Records e estabelece um forte vínculo com a gravadoraCom seu estúdio situado no coworking da mesma, o DJ vivencia música eletrônica 24h por dia, buscando sempre inovação em seus sets e produções musicais. Seu codinome foi criado com o intuito de levar música boa as pessoas que estavam nos sufocantes congestionamentos. Atualmente, Traffic Jam faz parte do casting da QG Agency e é residente da RADIOLA Records.  

Convidei o artista para um bate papo na segunda edição da Talk to Lara. Confere o que ele me contou: 

Lara: Oi Traffic! Agradeço o tempo disponibilizado para conversar conosco. Você tem uma trajetória bem significativa na cena eletrônica, estando em contato com a música há quase 9 anos. Conte-nos um pouco sobre como foi o início dessa história e por qual motivo decidiu virar DJ. 

Traffic Jam: Oi Lara, eu que agradeço esse espaço para poder contar um pouco da minha trajetória. Tudo começou como a maioria, creio eu, frequentando festas. Comecei a ver que era mais que um mero entretenimento, era uma cultura, onde as pessoas se encontravam para celebrar a música, um espaço de diversidade, respeito e arte. Isso me inspirou muito, principalmente no Warungclub que mais frequentei. Logo após veio a criação da Radiola como um fórum na internet, onde discutíamos muito sobre música e fui me envolvendo e me apaixonando cada vez mais pelo tema e claro, vê-la se desenvolver em uma gravadora, festa, coworking, me motivou a querer trabalhar com isso. Mas o ponta pé inicial como DJ, foi quando um amigo meu, que tinha os equipamentos, foi fazer intercambio lá por 2010 e deixou os CDJs e mixer comigo, a partir daí foi um caminho sem volta (risos). 

Assim que começou a tocar profissionalmente, teve oportunidade de se apresentar em alguns clubs e festas de grande influência, como a D-EDGE, Kubik, RADIOLA, Warung Beach Club, ADE em Amsterdam e recentemente na Levels. Você tem algum local que almeja tocar futuramente? 

Primeiramente eu fico muito feliz em ter tocado nesses que são alguns dos melhores clubs e festas do país e já é um grande desafio continuar a ser contratado por esses lugares, pois você tem que estar sempre atual para ser um produto atrativo a eles. Além disso, quero muito ter um trabalho sólido para conseguir tocar mais vezes fora do país, isso creio que traz muita bagagem quando você retorna. 

Podemos perceber que 2018 foi um ano especial para você como artista em si, com muito trabalho em seu estúdio. Aonde busca suas inspirações e o que vem pela frente? 

Creio que como artista a inspiração tem que estar sempre em você, junto com o objetivo que você quer alcançar. Ai nessa equação você tem que achar uma sonoridade sua, ser original e trabalhar muito no estúdio para pôr em prática a técnica junto com a arte. Então meu foco este ano vai ser no estúdio, vão rolar meus primeiros lançamentos e espero conseguir um “flow" legal para ir me achando nas produções e tendo cada vez mais um trabalho consistente e reconhecido. 

Na sua opinião, quais foram os grandes destaques, sendo artistas e eventos, dos últimos tempos? 

Hmm, para não citar a Radiola que sempre vem inovando nos eventos e de artistas os próprios residentes que sou fã, cada um no seu estilo e seguindo evoluindo. Eu destacaria nacionalmente a Levels como evento e internacionalmente a apresentação que mais me marcou foi Bicep Live. 

A última pergunta da Lara: Defina como é Traffic Jam em ação.  

Uma mistura de influências com uma boa dose de empatia e conexão com a pista. 

 

E aí ficaram curiosos pelo que vem pela frente? Parece que 2019 promete muita música boa para todos nós! Fiquem de olho que sempre teremos novos artistas contando um pouquinho da sua trajetória por aqui. E ah, não esqueçam de nos acompanhar nas redes sociais: 

Facebook: RADIOLA Records  

Instagram: @radiolarecords  

YoutubeRadiolaTV  

  

Beijinhos,  

Lara Radiola.