Considerado como uma relíquia musical, o primeiro disco de vinil nasceu em meados de 1948 e carrega uma grande história em sua bagagem musical. Do jazz ao rock, passando pelo blues, com uma pitada de funk e muita dance music. Não é à toa que, atualmente, podemos ver muitos DJ’s manuseando os vinis em suas discotecagens e que as famosas bolachas são devidamente respeitadas na pista de dança. 

E por falar em bagagem musical, ninguém melhor que Kaká Franco para tratar desse assunto, visto que o artista é considerado um dos maiores colecionadores de vinis na cena eletrônica brasileira e já possui mais de 5 mil discos em seu repertório. Com tanta referência e música boa em sua case, nada mais justo que ele elencar 5 discos que todo mundo deveria ouvir, afinal, 20 de abril é o Dia do Disco e merece uma comemoração à altura.  

Confira: 

"Olá pessoal. Obrigado pelo convite em participar exatamente no Dia do Disco de Vinil, compartilhando 5 EP’s que contém alguma música diferenciada. 

O primeiro é um Maxi-Single, Ideal - Schöne Frau mit Geld (LoSoul Remix). Ideal era uma banda alemã do começo dos anos 80, e o remixer é Peter Kremeier, dono da label Playhouse, mais conhecido como Losoul. Um produtor que sempre respeitou muito o jazz, funk e o soul, e sempre costuma unir melodia, emoção, drama com ritmo e groove. Essa track mostra exatamente isso, claro que é quase um edit da original, mas a qualidade e musicalidade torna-a perfeita para todos os momentos. 

O segundo disco foi aqui escolhido pela sua quase raridade, um V/A que contém a música Silverlining – Don’t Forget Your Ambdo-CnyperSilverlining é um projeto de Asad Rizvi, onde nesse projeto ele focou em algo mais darkdub e voltado um pouco mais para as pistas de dança. Seu contexto cru e minimalista intriga muita gente, eu adoro tocar essa faixa quando quero chamar a atenção de uma forma não comum, ou melhor, provocar nas pessoas uma certa sensação de dúvida ou estranheza, sempre cuido porque não é qualquer momento que ela cai super bem, mas quando encaixa faz toda a diferença. 

Agora vamos para Nova Iorque, final dos anos 90. Selecionei aqui Scotti Deep – After The Dance. Um house bem clássico nas suas características, pressão no ritmo, timbres e samples bem marcados. Impossível não se emocionar com essa levada, lançado pela famosíssima Henri Street Music, que imagino ter na faixa de uns 280 releases super bem concedidos. É aquela que todo amante do gênero precisa ouvir. 

 

Seguindo o raciocínio de literatura obrigatória, agora vai o hino dos deepers, para todo DJ que realmente se identifica com deep house music: Chez N Trent – Morning Factory é a escolhida para esse momento. A junção de Chez Damier com Ron Trent tem sido um dos maiores marcos da música eletrônica, então por que não apreciar essa obra prima, leve, suja e hipnótica? 

E pra finalizar, algo bem mais conhecido de todos: St. Germain. Conhecido pela quantidade absurda de músicas bem orgânicas, com altíssimo nível de qualidade musical, é sempre notório o jazz e blues carregado nos seus elementos. Eu quis deixar de lado um pouco os álbuns BoulevardTourist, pra não ser muito óbvio e escolhi o EP Mezzotinto, que contém a música My Mamma Said”. Bateria de jazz pesada, vocal blues e beats de house music, a união perfeita."

 

   

feel the music. 

Facebook: RADIOLA Records | Instagram: @radiolarecords | Soundcloud: Radiola Records | Youtube: RadiolaTV